CMI



Webinários mês de julho

Convidamos você para os Webinários que estão sendo promovidos pelo CMI (Centro de Musicalização Integrado - Escola de Música - UFMG) com grandes professores e profissionais das áreas de Educação Musical e Musicoterapia. São seminários online que estão acontecendo pela plataforma Zoom, cada dia com um palestrante diferente, com interação dos participantes e emissão de certificados.
 
 
 
  • Dia 17/07/2020, das 18h às 21h com a educadora musical Marisa  Fonterrada:
          Propostas de Pensamento Criativo para Educação Musical 
 
Neste encontro Marisa Fonterrada abordará o tema  Pensamento Criativo em Educação Musical, fazendo uma contextualização dos educadores musicais do final do Século XIX (Dalcroze, Orff, Kodaly, Suzuki),  e dos mestres do Pensamento Criativo dos séculos XX e XXI (Paynter, Schafer, Porena, Alonso), com exemplos práticos e momentos de escuta. Muitas ideias e reflexões para educadores musicais (programação completa abaixo).
 
 
 
 
Marisa Fonterrada tem graduação em Música (Bacharelado) pela Universidade São Judas Tadeu (1977), mestrado em Educação (Psicologia da Educação) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1991), doutorado em Antropologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1996) e é Professor Livre-Docente em Técnicas de Musicalização pelo Instituto de Artes da UNESP. Atualmente é aposentado do Instituto de Artes da UNESP, trabalhando como voluntária no Programa de Pós-graduação em Música - Mestrado e Doutorado. Coordenadora da ETEC de Artes do Centro de Educação Tecnológica "Paula Souza", da Secretaria de Estado do Desenvolvimento de São Paulo. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Música, atuando principalmente nos seguintes temas: educação musical, música, canto coral, ecologia acústica e A disciplina Artes no ensino fundamental, médio e superior.  
 
As inscrições podem ser feitas através do link:
http://www.cursoseeventos.ufmg.br/CAE/DetalharCae.aspx?CAE=10036  
Investimento: 50,00
O link para a participação será enviado por e-mail aos inscritos no dia do evento.
 
Mais informações:
www.musica.ufmg.br/cmi
cmi@musica.ufmg.br
 
Esperamos você! Abraços,
Angelita Broock, Betânia Parizzi e Marina Freire
Comissão organizadora.
 
____________________
PROGRAMAÇÃO COMPLETA: 

 

PARTE I – CONTEXTUALIZAÇÃO – EDUCAÇÃO MUSICAL
MÚSICA É LINGUAGEM.  Quais são as implicações dessa afirmação?
- Do mesmo modo que a língua, a música se aprende socialmente, por experiência, pela troca, pela vivência, mais do que pela gramática.
- reflexões acerca das implicações desse entendimento para a educação musical.
 
EDUCADORES MUSICAIS A PARTIR DO FINAL DO SÉCULO XIX – quem são, o que fizeram, como surgiram.
- Dalcroze, Orff, Kodaly, Suzuki 
- Condições sociais que determinaram suas propostas
 
Parte II - EDUCADORES MUSICAIS DA METADE DO SÉCULO XX E XXI – NOVAS SENDAS TRAZIDAS PELA MÚSICA NOVA
ALGUNS MESTRES DO PENSAMENTO CRIATIVO NA EDUCAÇÃO MUSICAL: John Paynter, Murray Schafer, Boris Porena, Chefa Alonso
-  O que mudou em suas propostas em relação aos autores anteriores? 
- Em que princípios comuns se amparam?
 PENSAMENTO CRIATIVO E EXEMPLOS DE PRÁTICAS
 
JOHN PAYNTER
Características de sua proposta: Som e estrutura. Interdisciplinaridade, criação interdisciplinaridade; o exemplo das outras linguagens artísticas
- Questões: por que a música se ancora em ensino dirigido, técnicas, memorização e  repetição? E teme permitir que os alunos sejam criativos?
- Momento de escuta  - Tiago Teixeira Ferreira e crianças do ensino fundamental (trabalho desenvolvido em sua Dissertação de Mestrado, 2014).
 
MURRAY SCHAFER
Características de sua proposta: questionamentos à sociedade de consumo; a utopia de uma nova sociedade, baseada em princípios ecológicos.  Sua obra composicional reflete seus princípios
- Ecologia sonora; limpeza de ouvido.
- Criação: o compositor na sala de aula; hora de inventar.
- O teatro de confluência - Ursound e utopias
- Momento de Escuta – Schafer: MiniwankaThe Garden of Bells
Consiglia Latorre e o grupo Sonoridades múltiplas (trabalho desenvolvido durante o Doutorado, na UFC, 2015)
 
CHEFA ALONSO
Características de sua proposta: improvisação livre. Música como direito de todos.
- Improvisação idiomática e improvisação livre
- Princípios da improvisação livre
- Vínculo inseparável entre música e contexto social
- Exercícios e técnicas de improvisação livre
- Momento de escuta – Liliana Bertolini e a Orquestra da EMIA (trabalho desenvolvido em sua Dissertação de Mestrado, 2019).
 
BORIS PORENA  
Características de sua proposta:  música e sociedade; criação, ação, improvisação:
- o livro Kindermusik (o termo não quer dizer música para crianças, mas música para a criança que habita em nós) – uma mostra.
- Educação Musical vinculada ao social; a comunidade de Cantagallo, nos arredores de Roma;
 
MOMENTOS DE ESCUTA
Rodrigo Assad – trabalho desenvolvido no Projeto Guri, 2019
 
Samuel de Pontes – trabalho desenvolvido durante o Doutorado. Em curso.
 
Paula Molinari e integração social – Os índios Tremembé, alunos do curso de Licenciatura da UFMa e Orquestra do Sesc. Trabalho desenvolvido em seu Estágio Pós-doc, concluído em 2020.
 

 

 

  • Dias 09, 16, 23 e 30/07 de 20h a 22h Webinário de 4 encontros com Renato Sampaio, sobre a IMTAP:

 

Introdução ao Individualized Music Therapy Assessment Profile (IMTAP)
 
 
Para musicoterapeutas e estudantes de Musicoterapia
 
Com Prof. Renato Sampaio
 
Dias 09-16-23-30/07, de 20h a 22h
 
Pela plataforma Zoom
 
Investimento: R$110,00
Link para inscrição: http://www.cursoseeventos.ufmg.br/CAE/DetalharCae.aspx?CAE=10039
 
Vagas limitadas!
 
Serão emitidos certificados.
 
Neste Webinário, o Prof. Renato Sampaio apresentará o protocolo de avaliação musicoterapêutico Individualized Music Therapy Assessment Profiles (IMTAP), seus limites e potenciais para o uso com crianças com distúrbios do neurodesenvolvimento. Os objetivos são capacitar os participantes a compreender as especificidades, limitações e potencialidades do IMTAP; a aplicar o IMTAP como instrumento de avaliação musicoterapêutico inicial e como avaliação do processo musicoterapêutico e treinar os participantes na observação, registro e score de comportamentos musicais e não musicais nos domínios abarcados pelo instrumento.
 
 
 
Renato Sampaio possui graduação em Musicoterapia (1996) e em Educação Artística - Licenciatura Plena em Música (1997), mestrado em Comunicação e Semiótica (2001) e doutorado em Neurociências (2015). É Professor Adjunto da Universidade Federal de Minas Gerais, atuando na Graduação em Música, na Especialização em Neurociências, na Especialização em Transtorno do Espectro do Autismo, no Programa de Pós-graduação em Música e no Programa de Pós-graduação em Neurociências. Tem experiência nas áreas de Musicoterapia, Neurociências e Arte-Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: prática clínica em musicoterapia, transtornos do desenvolvimento, educação musical e educação inclusiva.
 
 
 
APRESENTAÇÃO:
 
 
O processo clínico musicoterapêutico se desenvolve como um conjunto de intervenções sistemáticas, planejadas, longitudinais e sequenciais (BRUSCIA, 2014). O ponto de partida do processo terapêutico será conhecido e descrito a partir de uma avaliação diagnóstica musicoterapêutica (SAMPAIO, 2018). Dentre os protocolos de avaliação musicoterapêuticas aplicáveis no processo clínico com crianças com distúrbios do neurodesenvolvimento está o Individualized Music Therapy Assessment Profiles (IMTAP), que foi desenvolvido na década de 1990 por um grupo de muscioterapeutas estados-unidenses com o objetivo de proporcionar uma visão holística do paciente, cobrindo dez domínios de funcionamento: Motor Amplo; Motor Fino; Motor Oral; Sensorial; Comunicação Receptiva e Percepção Auditiva; Comunicação Expressiva; Cognitivo; Emocional; Social; e Musicalidade (Baxter et al, 2007). O IMTAP teve uma tradução para o Português Brasileiro realizada por Alexandre Mauat Silva (2012) e os estudos iniciais de validação verificaram sua adequação para uso no Brasil.
Neste Webinário, o Prof. Renato Sampaio apresentará o Individualized Music Therapy Assessment Profiles (IMTAP), seus limites e potenciais para o uso com crianças com distúrbios do neurodesenvolvimento com os seguintes objetivos:
- Capacitar os participantes a compreender as especificidades, limitações e potencialidades do IMTAP; a aplicar o IMTAP como instrumento de avaliação musicoterapêutico inicial e como avaliação do processo musicoterapêutico.
- Treinar os participantes na observação, registro e score de comportamentos musicais e não musicais nos domínios abarcados pelo instrumento.
Metodologia expositiva:
- Leitura e discussão de textos; treinamento de observação e registro de comportamentos musicais e não musicais (com trechos gravados de sessões musicoterapêuticas); treinamento de quantificação e score do IMTAP.
Materias escritos serão encaminhados aos participantes por meio do chat da plataforma.

adorno2

UFMG Campus Pampulha - Av. Antônio Carlos, 6627 (Anexo à Escola de Música)
Cep:31270 - 010 - Belo Horizonte - MG
Telefone - Secretaria: (31) 3409.6503 / 3409.4703

mapa